"Não quero saber do lirismo que não é libertação"
Poética
Manuel Bandeira

Um pouco de lirismo que é libertação

>> terça-feira, 27 de julho de 2010

"[...]What though the radiance which was once so bright
Be now for ever taken from my sight,
Though nothing can bring back the hour
Of splendor in the grass, of glory in the flower;
We will grieve not, rather find
Strength in what remains behind;
In the primal sympathy
Which having been must ever be;
In the soothing thoughts that spring
Out of human suffering;
In the faith that looks through death,
In years that bring the philosophic mind. [...]"

Ode: Intimations of Immortality from Recollections of Early Childhood de William Wordsworth

2 comentários:

Vida Real 3 de agosto de 2010 21:14  

Voce naõ esta velho, o texto mesmo que e meio incoerente afinal a juventudo e incoerente...

Urbano 29 de agosto de 2010 23:43  

A mortalidade, relógio que vai e não volta (qual volta né?) sem chance de resgate de brilho... fazer o que? a gente se adapta e tenta antecipar pra desfrutar mais.

--
Vc foi na minha página e fez comentários. Estou bde convidando a conhcere o quadrinho que estreiei há pouco: http://atmosphera2hq.blogspot.com/
forte abs!

  © Blogger templates Inspiration by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP