"Não quero saber do lirismo que não é libertação"
Poética
Manuel Bandeira

Momento de reflexão

>> segunda-feira, 15 de março de 2010

Tenho pensado muito ultimamente sobre escrever, sobre ter um blog e ter meus textos lidos e permanentemente transitando a internet, por que por mais que eu fique atento não há como saber se e quantos copiam e replicam o texto por ai. É certo que tudo que se coloca na rede por lá fica se perpetuando em bytes que não empoeiram, não envelhecem, não amarelam e decaem como as folhas de papel.

Ok, to enchendo lingüiça, o que me preocupa não é tanto a apropriação dos meus textos, mas a relevância deles. Não sou dado a ter crises de confiança, mas analisando e lendo tantos autores como tenho nos últimos dias surgiu fortemente essa questão dentro de mim.

Recebo e-mails e comentários (esses últimos infelizmente são mais esporádicos do que eu gostaria) com elogios e isso pode ser de certa maneira um atestado que para alguém meu texto é relevante. E sem sombra de dúvida que escreve o faz para ser lido, contudo não procuro agradar ninguém deliberadamente, ou seja, escrevo de minha livre consciência, emitindo opiniões que julgo bem embasadas.

Como toda pessoa que se quer racional e “cientifica” estou sempre disposto a debater e argumentar defendendo minhas posições esse debate não pode é claro ser autista, é preciso de alguma maneira se manter aberto a possibilidade de ser convencido, por fatos e argumentos e mudar de opinião. Não por conveniências ou subserviência, mas pelo método cientifico sendo convencido. Não há demérito nisso. Mas divago novamente.

A questão continua a ser a qualidade e relevância de meus textos e não importa a reposta que eu obtenha uma coisa ficou patente nesse ultimo ano. Ainda preciso aprender muito, amadurecer muito meu senso analítico, me faltam ainda algumas décadas de reflexão e leitura (a esse ponto devo ter perdido leitores. Espero que não). Não necessariamente faltam títulos acadêmicos, embora os ambicione, não para ostentar o título e me sentir o tal, mas como símbolos de um conhecimento adquirido a duras penas.

Espero que essa autocrítica seja útil para meus leitores e clientes e para mim. 

1 comentários:

Fê Miranda 18 de março de 2010 19:54  

Muito obrigada pelo seu comentário no meu blog...Realente, tive muita paciência ao lidar com aquele cidadão...rss
Mas sabe, às vezes, prefiro aquele que ler e causa a polêmica aquele que não ler e pra não dizer que não leu só escreve "muito bom", "ótimo blog"
Por isso, concordo perfeitamente com vocÊ quando coloca em pauta a questão da utilidade de seu blog e de seus posts. O blog não deve servir, apenas, pra mera conveniência de número de comentários.Muito bom!

Bjo, Fê.

  © Blogger templates Inspiration by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP